Paris

Na sexta feira, peguei o trem das 14 horas de Londres para Paris e cheguei lá as 17 pela Estação Gare du Nord, um lugar sujo e super fedido, mas fui procurar meu hostel, o St Christopher Inn. Conheci várias brasileiras no meu quarto e juntas fomos de metrô até o Arco do Triunfo. Na estação, você encontra uma máquina para comprar seu ticket que serve para trem, metrô, ônibus e bondinho, lá chamado de RER.

Fomos caminhando do Arco do Trinfo até a Champs Elyseé, ai aproveitei pra comprar dois batons da Mac, tirar foto na Tiffany e usufruir do glamour da cidade luz, porém não é bem assim que a banda toca por lá. Paris é uma cidade linda, cheia de pontos turísticos, mas não tive a sorte de me deparar com pessoas (franceses) educados ou com ruas limpas, pois fediam a xixi, além de estar rodeadas de mendigos. Mas enfim, Paris vive uma dicotomia. Depois fomos numa padaria tipicamente francesa e compramos sanduíches, croissaints doces e salgados e levamos pra comer no hostel, mas antes paramos num mercadinho e comprei vários chocolates pra dar de presente.

No sábado, eu e as meninas acordamos cedo, fomos tomar café da manhã, pegamos o metrô e fomos para o Louvre. Não estava uma fila enorme porque chegamos super cedo. Na bilheteria, eu mostrei a carteirinha do meu curso de inglês e não paguei a entrada. É o seguinte: estudantes até 26 anos da União Européia + Reino Unido tem direito a gratuidade em vários monumentos. Então, fiquei como, FELIZ por ter economizado €12,00. O museu é simplesmente lindo e imenso. Nós chegamos lá as 8:30 e saímos as 12:30. Fomos andando até o Rio Sena para chegar a ponte dos cadeados, conhecida também como ponte do amor ou Pont des arts. Aproveitei pra comprar uns porta copos com temática parisiense e chaveiros.

louvre
Da esquerda para a direita e de cima para baixo: ala egípcia, ala italiana com as pinturas de João Baptista e Monalisa e a área externa do Louvre.

Fomos almoçar num restaurante lindo e depois fomos andando até a Igreja de Notre Dame, saindo de lá, fui furtada na subida do metrô. Levaram os cartões de crédito, os vtm’s, tickets de transporte e €60,00. A minha sorte é que esse dinheiro era pra lembranças. O ruim é que tive que sair correndo atrás de uma Starbucks para acessar a wifi e bloquear meus vtm’s e como não estava conseguindo bloquear os de crédito, fui obrigada a fazer uma chamada de vídeo para o Brasil e pedir minha mãe para resolver tudo pra mim. E depois de resolver tudo, as meninas e eu fomos para a Torre Eiffel. Apesar dos pesares, eu estava bem e tinha conseguido resolver o problema da melhor forma possível.

Domingo, decidimos acordar um pouco mais tarde e formos tomar café umas 9 horas da manhã. E partimos para o metrô para chegar ao bairro Montmatre, onde fica a Igreja de Sacre Couer. A entrada é gratuita e não pode tirar foto lá dentro, porém como eu sou brasileira, consegui dar um jeitinho, rs. A vista do alto da Igreja é linda e apesar do tempo ruim e da neblina, dá para ver o bairro todo. Depois de tirarmos muitas fotos, descemos e fomos conhecer o mercado local, aproveitei, claro, pra comprar uns cordões lindos e baratinhos e comer os famosos macarons. Voltamos ao hostel para eu fazer meu check out e ir para a delegacia. Vou falar uma coisa pra vocês, pior que ser furtada é ter que ir a uma delegacia francesa, porque eu fiquei 4 horas para ser finalmente atendida e para no final a delegada ainda dizer que a culpa era minha de ter sido furtada. E por causa dessa demora, quase perdi meu trem de volta para Londres. Mas felizmente, o comboio estava realmente atrasado.

paris
Da esquerda para a direita e de cima para baixo: Arco do Triunfo, loja da Tiffany, Rio Sena, Rio Sena com bandeira do Brasil, Ponte dos Cadeados, Igreja de Notre Dame, Torre Eiffel 2 vezes, visão de toda a Montmatre com névoa, escadaria da Igreja de Sacre Couer, interior da Igreja de Sacre Couer e o trenzinho que fica na lateral da Igreja

Para todos os que pensam que a grama do vizinho é sempre mais verde, cuidado. Não é bem assim, entre escolher o Rio e Paris, prefiro mil vezes minha cidade natal. Cheguei na capital francesa achando que seria tudo as mil maravilhas por ser “a cidade luz”, por ser de primeiro mundo, mas lá encontrei sujeira, odor de xixi, mendigos espalhados pelas ruas e em uma estação, até cocô na parede tinha. Obvio que não é todo mundo que tem a mesma percepção que eu, mas se eu pudesse voltar no tempo, teria ido para a Escócia ao invés da França.

E para todos os que estão com viagem marcada, alguns conselhos:

  1. Não aceitem brincos, ou cordões, ou anéis, enfim, qualquer jóia ou bijuteria de estranhos, mesmo que afirmem que o objeto te pertence. Na verdade, é apenas um esquema de extorsão e tirar dinheiro de turista, pois no momento em que você aceitar, a pessoa vai dizer que você está roubando e vai exigir dinheiro em troca;
  2. Não deem seus dados pessoais ao serem abordados por pessoas que estão fazendo entrevistas ou doações para uma ONG, porque depois que eles conseguem todos os seus dados, eles te ameaçam e dizem que vão usar suas informações até conseguir a quantia de dinheiro desejada;
  3. Cuidado com os batedores de carteira, eles estão em qualquer lugar, inclusive no Louvre que anuncia em Inglês, Francês e Espanhol sobre isso.

O.B.S: Não estou, de forma alguma, dizendo para não irem a França, só queria compartilhar com vocês minhas percepções e experiências na capital francesa.

2 comentários sobre “Paris

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s