Imagem

Netflix ressussita a série fofa entre mãe e filha: Gilmore Girls!

Inhai tudo bem, galera? Notícia bombástica sobre o mundo das séries antigas!!! Siiim, um seriado mega fofo que me encantou durante minha adolescência vai voltar… Vamos ver se vocês adivinham? Contava a história de duas meninas mulheres, seus dramas, suas dúvidas, seus problemas… Adivinharam? Então mais uma dica: elas são mãe e filha! Ahhh!!! Agora vocês devem ter acertado, né? Estou falando de Gilmore Girls, a.k.a aqui no Brasil como Tal Mãe, Tal Filha.

gilmoregirlsgif

De acordo com a Varity, a Netflix ira produzir 4 episódios com 90 minutos de duração cada, tipo um filme. A história acompanharia o salto de 8 anos , afinal, faz 8 anos que a série acabou. O elenco principal como Lauren Graham (Lorelai, mãe) e Alexis Bledel (Rory, filha) deverá retornar para os novos episódios, mas ainda não foi confirmado nem pela Netflix nem pela Warner Bros que exibia a série que terminou depois de 7 temporadas em 2007.

gilmore girls

Eu sempre fui fã da série e as primeiras temporadas eu acompanhava episódios perdidos porque passava no SBT aos domingos… Todas choram ao relembrar, certo? Depois da terceira season, se eu não me engano, eu passei a assistir direitinho os conflitos entre mãe e filha e as batalhas que cada uma travava. Alguém aqui tá ansiosa (o)? Quem aqui tá batendo palmas para a Netflix? Euuuuu!!!

Um beijo dessa que vos escreve,

Assinatura Natalia Wilde outubro rosa

 

Vídeo

Sessão Nostalgia: séries que passavam na TV na época da infância e da adolescência!!!

Quem aqui não acordava cedo no sábado e no domingo só pra assistir as séries que passavam na TV? Eu lembro da época que o Sistema Brasileiro de Televisão, o SBT, deixava a tela colorida, com o horário e alguma música animada até as 6 horas. Eu e minha irmã acordávamos cedo, ficamos dançando com as músiquinhas e ficávamos contando os últimos minutos até a tela colorida sair e começar a programação, hahhaa, era muito legal. Quem aqui já fez isso também?

Nos anos 90, a Internet não permitia que baixássemos séries e filmes como é hoje em dia e só quem tinha TV a cabo nessa época era quem tinha assim, muito dinheiro, então a TV aberta era o sonho de consumo de toda criança. Pensando nisso, eu fiz uma listinha que, óbvio, vai entrar para o blog, com as séries que marcaram a minha infância e a minha adolescência! Siiiiim, se preparem para entrar direto no Túnel do Tempo, hahaha. O que? Não entendeu a referência? Não tem problema, aqui tá o link pra você não ficar por fora, haha… Mas vamos ao que interessa, a famosa listinha!!!

1 – GLOBO:

  • Dawson’s Creek:

Não é nada fácil se tornar adulto. É preciso, a todo o momento, enfrentar os medos de descobrir qual carreira que se vai seguir para a vida, pensar no relacionamento com os pais e, até mesmo, saber ouvir o próprio coração, quando o amor começa a bater mais forte. Para o grupo de adolescentes, formado por Dawson, Joey, Pacey e Jen, passar para o “mundo” adulto não poderia ser mais difícil. Em Capeside, uma pequena cidade do litoral, perto de Boston, eles convivem com os mais diferentes tipos de problemas no quotidiano, que os fazem crescer para entender melhor o mundo em que vivem. E agora cada um precisa decidir sua carreira profissional, universidade, paixões. Não é nada fácil, mas, com amor e amizade, esse caminho será bem menos difícil de marcar.

  • Barrados no Baile – Beverly Hills:

Conhecido também como 90210 (CEP nos EUA) fez o mundo enxergar a juventude da época de uma maneira singular. Nunca uma série de TV havia ido tão fundo nas angústias e reviravoltas do universo adolescente. A adolescente Annie Mills e seu irmão adotado Dixon têm um pequeno choque de cultura quando vão estudar no West Beverly High, enfrentando várias desavenças e tendo seu pai como o novo diretor da escola enquanto terão que tomar conta da avó Tabitha, uma atriz nos anos 70 que virou alcoólatra

  • Buffy – A Caça Vampiros:

Enfrentando alguns de seus traumas, Buffy retorna à Sunnydale e passa a treinar mais para ficar cada vez mais poderosa. Mesmo sem a ameaça do Mestre, a cidade está longe de ser pacífica: demônios atacam os estudantes da escola todas as horas e a turma de Buffy fica cada vez mais unida nas diferentes missões. Novos inimigos como o vampiro Spike e a insana Drusilla surgem e Buffy vai contra seus princípios ao se envolver amorosamente com Angel, o vampiro com alma. No decorrer da história, novos conflitos acontecem, Willow aprende a usar a magia e Buffy tem que enfrentar o seu amado, após ele perder a alma que o deixava bom.

2 – SBT:

  • Friends:

A série girava em torno de um grupo de amigos que viviam na área de Manhattan, na cidade de Nova York.

  • The O.C:

A cidade de Orange County, na Califórnia, é um paraíso ideal: uma rica comunidade onde tudo aparenta ser perfeito. Mas debaixo disso há um mundo de troca de lealdades e identidades, de adolescentes vivendo vidas secretas escondidos de seus pais, e pais vivendo vidas secretas escondidos de seus filhos.

  • Smallville:

A série mostra a vida do Superman quando ele ainda era apenas um adolescente, que nem imaginava os poderes que tinha. Ao invés de lidar com vilões e proteger o mundo, Clark Kent terá que enfrentar a escola, as dificuldades de se conquistar as garotas e lidar com seus rígidos, porém amáveis, pais, enquanto seu corpo passa por muitas mudanças — e nem todas elas relacionadas à puberdade: uma super-força, visão de raio-x… Mais forte e mais rápido do que qualquer outra pessoa, Clark não consegue entender porque se sente tão deslocado, principalmente na presença da bela Lana Lang, cujos pais foram mortos da chuva de meteoros que o trouxe à Terra. E numa grande diferença em relação às outras histórias, Clark se torna amigo de seu futuro inimigo, Lex Luthor, após se encontrarem por acaso.

  • Gilmore Girls:

O drama de uma mãe solteira tentando criar sua filha adolescente”, pode soar um pouco melodramático para um seriado que está em sua segunda temporada. Mas, o que Gilmore Girls tem de diferente? Em primeiro lugar, mãe e filha são tão parecidas, que mais parecem irmãs. A diferença de idade entre elas, então, é as vezes até parece inexistente. Lorelai (a mãe) teve sua filha Rory (que por sinal, também se chama Lorelai, mas prefere usar o apelido, como uma maneira de diferenciar-se de sua mãe) ainda na adolescência, aos 16 anos.

  • Três é demais:

A série “Full House” mostra a história de uma grande família. Danny (Bob Saget), pai de 3 lindas garotas, ficou viúvo recentemente. Nos primeiros dias após a morte de sua esposa, sua mãe esteve o ajudando a cuidar de suas filhas: DJ (Candace Cameron), Stephanie (Jodie Sweetin), e a caçula da família, Michelle (Mary Kate e Ashley Olsen). Mas, ela teve que voltar para sua casa, então dois amigos de Danny se mudam para sua casa para o ajudarem na tarefa. Joey (Dave Coulier), um comediante e seu cunhado Jesse (John Stamos, de Thieves), um guitarrista. Jesse passa a ocupar o antigo quarto de Stephanie, mesmo com a decoração “feminina”, e Stephanie passa então a dividir o quarto com DJ. A partir daí, muitas confusões “em família” estão por vir, nesta grande série que se tornou um ícone nos Estados Unidos em matéria de sitcoms. O.B.S: Já fiz um post aqui no blog, sobre a volta da série como um spin off.

  • Levada da Punk:

Na série, Soleil Moon Frye interpretava uma garotinha que foi abandonada pelos pais e que passa a contar com a companhia de seu cachorro, Pinky. Foram quatro temporadas de 88 episódios. Mais tarde, a atração viraria um desenho animado.

  • Amor Fraternal:

Foi uma sitcom, criado por Jonathan Schmock e James Valley, que narrava a vida de um jovem chamado Joe, que após a morte do pai resolve se juntar à família de sua madrasta e continuar os negócios convivendo com seus dois meio-irmãos, além de outras pessoas muito atrapalhadas.

  • Eu, a Patroa e as Crianças:

Michael Kyle é um homem carinhoso, casado com uma mulher bonita e próspera, e pai de três crianças saudáveis. Típica família feliz? Não para Michael. Ele gostaria que toda sua família tivesse um comportamento diferente. Para Michael, seu filho adolescente teria que curtir os clássicos de Michael Jackson e Barry White, não bandas de rap com nomes ameaçadores. Sua filhinha de 12 anos seria doce e ainda brincaria de boneca, ao invés de ser temperamental e usar roupas curtas e maquiagem para impressionar os garotos da escola. E a caçula seguiria tudo que papai dissesse, ao invés de contestá-lo e impor suas vontades. Michael acha que sua mulher deveria ser a típica dona de casa e mãe zelosa, daquelas que passam o dia todo cuidando da casa e dos filhos, preparando o jantar para quando todos chegarem, e não uma trabalhadora em ascensão, que acaba de receber um convite de para ficar no escritório em período integral. Sua maior realização é ver a família reunida à mesa, mesmo que na maior gritaria e com discussões entre as crianças. Ele vai lutar para ter isto, mesmo que o conceito de família seja muito diferente no mundo de hoje

  • O Homem da Casa:

Foi uma sitcom de curta duração, criado por Julian Tohber, que tem seu início na cidade de Miami, ao redor de Andrew Whitney, um garoto de quinze anos de idade, o único homem numa casa cheia de mulheres, onde ele é constantemente rodeado, fiscalizado e perturbado pelas suas três irmãs, Val, Paige e Elizabeth, além da Tia Jordan e sua mãe Julia.

  • Um Maluco no Pedaço:

Foi um seriado de grande sucesso nos Estados Unidos produzido de 1990 a 1996. A série marcou o começo da carreira do astro do cinema Will Smith, quando ainda jovem. Na história o ator retrata um personagem que se chama Will e nasceu na Filadélfia, cidade pobre dos Estados Unidos e foi morar com os tios em Bel-Air, bairro muito rico de Los Angeles.

  • Lois e Clark:
Se focando mais no relacionamento e nas Aventuras de Lois e Clark, a série apresentava facetas de comédia romântica. Tomando como base a nova origem do personagem que o autor John Byrne escreveu nos quadrinhos, após Crise nas Infinitas Terras, a série apresenta um Johnatan Kent ainda vivo (diferente de Smallville, dos filmes com Christopher Reeve e dos gibis pré-crise) e um Clark mais descolado. A série foi criada nos anos de 1992 e 1993 e durou 4 temporadas. Fez muito sucesso por mostrar as várias faces de Clark Kent/Superman, uma Lois Lane bem independente, um Perry White e um Jimmy Olsen bem divertidos, um Lex Luthor bem convencido e mau e uma Cat Grant bem atirada.

3 – RECORD

  • Xena – A Princesa Guerreira:

O show é uma fantasia histórica estabelecida na Grécia antiga, embora com personagens de outros tempos. A série detalha as aventuras da ex-assassina Xena, que procura redimir-se em uma missão para compensar seu passado sangrento. Xena é acompanhada em suas viagens por Gabrielle, uma jovem mulher que se torna sua melhor amiga e, eventualmente, mais confiável aliada. O show usa livremente nomes e temas de diversas mitologias em todo o mundo, principalmente os gregos, mas sempre tenta adaptá-los de acordo com as exigências do enredo. Figuras históricas e eventos de um certo número de diferentes épocas históricas e mitos fazem inúmeras aparências, como Homero, antes dele ser famoso, e Gabrielle o incentiva; a queda de Tróia; e a captura de César por piratas. Mas há também várias situações retratadas no seriado que fogem completamente tanto à área mitológica quanto à histórica, como uma fase do seriado em que Xena mata quase todos os deuses do Olimpo.

  • Hércules – A Lendária Jornada:

A série é baseada livremente nas façanhas do semideus da mitologia grega, foi precedida por vários telefilmes que já contavam com os mesmos personagens. Acabou por criar personagens memoráveis.

Ai que época boaaaaaa!!! Eram séries boas e quando a gente é criança, a gente não percebe várias piadas, até que a gente cresce, assiste ao seriado de novo, para e pensa, puts, era isso que aquele personagem tava querendo dizer, hahaha. Quem aqui ficou com saudade do tempo que era criança?

Deixei alguma série de lado? Tem alguma que você ama com todo seu coração e gostaria de ver de novo? Deixe aqui nos comentários!!!

Um beijo dessa que vos escreve,

Assinatura Natalia Wilde

Vídeo

O filme Mais um Verão Americano vai virar série pelas mãos da Netflix!

Olá lindas e lindos, a Netflix está demais!!! Depois de aparecer com séries próprias como House of Cars, Orange is the New Black, Marco Polo, Bíblia e de liberar para a vida toda a conta para o Sílvio Santos, é vez dela transformar o filme Mais um Verão Americano em série. Mas perai, não sabe do que eu estou falando sobre o Silvio Santos? Ah, não, perai… Silvio vive fazendo propaganda de graça e outro dia pediu o abono do pagamento de um mês de mensalidade. Depois do vídeo se tornar viral, o próprio presidente da Netflix mandou um recado para o Silvio. Vem ver!!!

Mas voltando a nova série, é preciso lembrar que Mais um Verão Americano é um filme lançado em 2001 e narra a história de do verão de 1981, quando um grupo de adolescentes vai para o Acampamento Firewood sob a supervisão de Beth (Janeane Garofalo). Chegando próximo do fim do encontro, os jovens decidem que vão fazer valer ao máximo o tempo que passaram juntos, e para isso precisam esclarecer situações e romances mal-resolvidos, assim, junto com os professores, aprontam muitas loucuras tentando superar a timidez, ter suas primeiras aventuras sexuais ou até mesmo chorar as mágoas do fim de um relacionamento. Enquanto isso, um astrônomo (David Hyde Pierce) aparece no local avisando que um pedaço de satélite caindo do espaço pode destruir o acampamento. No elenco: Paul Rudd, Bradley Cooper, Amy Poeher, Elizabeth Banks e Christopher Meloni.

Então, a linda da Netflix decidiu produzir a série com 10 episódios que vai servir como um epílogo, ou seja, mostrará o grupo de amigos ainda nos tempos de escola e praticamente todo o elenco original vai participar. Já podemos ver como vai ser a vibe, checa só.

Até a próxima!!!